segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Uma ótima companhia - Banana Charmosa

E como uma amiga recém-casada ávida por receitas para segurar o marido pela barriga reclamou que neste modesto blog só se faziam lanches e sobremesas, decidi fazer algo para o almoço.

A receita eu peguei num site/blog muuuito legal que esta mesma amiga me passou e que desde então tem sido uma ótima companhia nas horas livres de trabalho – inclusive eu diria que agora é até raro não encontrar algum papelzinho com uma receita copiada do Rainhas do Lar na minha bolsa. Até me empolguei mais nesta empreitada que é a minha relação com a cozinha.


A receita é bem simples – porque qualquer receita com mais do que 3 etapas do “modo de fazer” me assusta – e foi tão elogiada nos comentários das leitoras de lá que foi a primeira que copiei pra fazer. O link pra receita no Rainhas do Lar tá aqui. A foto de lá é bem mais bonita que a minha e vocês vão logo me perdoando mas a única máquina disponível no momento não era nenhuma brastemp. Vamos a receita:

Banana Charmosa

Corte as bananas ao meio.

Enrole-as primeiramente em uma fatia de queijo e depois em uma de presunto.

Arrume-as carinhosamente em um refratário.

Coloque um molho bechamel*

Polvilhe queijo parmesão e leve ao forno por aproximadamente 25 minutos.

Esse tal “molho bechamel” eu não conhecia aí fui lá no Tudo Gostoso e peguei a primeira ,e mais simples que encontrei, até porque se a receita era tão simples o molho também tinha que ser, ok? Então fiz assim:

*Molho Bechamel

Ingredientes:

1 copo de leite (250 ml)

1 colher de sopa de manteiga

2 colheres de sopa de farinha de trigo

Sal, pimenta-do-reino e noz moscada a gosto

Modo de Fazer:

Derreta a manteiga e aos poucos misture a farinha de trigo, deixando formar um creminho levemente dourado. A seguir coloque o leite, também aos poucos, e mexa até engrossar. Acrescente os temperos e está pronto. Todo o processo deve ser feito em fogo baixo.

Nem preciso dizer que a única dificuldade ficou no molho, né? Não que seja uma dificuldade... na verdade foi bem simples. Mas como eu sou lentinha precisei da minha personal assistent (mami) na hora te temperar (com sal e pimenta do reino, não usamos noz moscada) porque a expressão “a gosto” ainda é um mistério para mim.

antes de ir pro forno

Bom, o resultado ficou bem bonito (=D) e as minhas cobaias aqui de casa gostaram. Percebi que papi só comeu um pedacinho... mas disse que gostou. Em compensação, minha querida irmã, que torce a boca só de saber que a receita foi feita por mim, gostou!!!

Eu achei bom, ponto. Pro meu paladar ficou “faltando alguma coisa” que descobri durante a semana vagando pelos arquivos do Rainhas do Lar (sim, de novo). Bom, digamos que o problema foi aquela lei do menor esforço, sabe? Descobri que esse bechamel que eu fiz foi muito do fuleiro e que a receita "correta" tem mais borogodó. Eu prometo fazer novamente em outra oportunidade, conto aqui como ficou e posto a receita do molho de verdade, combinado?

É assim mesmo, cozinha é treino! hehehe


depois do forno: toda uma coisa borbulhante

Aí você vem e me diz que “ei, não dá pra servir só isso no almoço” e eu vou e respondo que a compreensão é a alma deste negócio e que é necessário que você entenda que como eu ainda estou no nível 1 (ou já posso dizer 2?) da minha saga gastronômica já me sinto orgulhosa em fazer um belo de um acompanhamento! Por que arroz, meu bem, não é nada sozinho.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Eu prometo: bolo colorido

Estava eu navegando por aí nos sites e blogs de unhas - porque agora eu sou tipo "a louca do esmalte" - quando me deparo com este bolo no Loucas por Esmalte. Era aniversário do blog e as meninas fizeram essa receita. Pirei, porque né, metade da minha fome se satisfaz com a beleza do prato, e esse bolo é tipo LINDO!

Já procurei loucamente a receita e já achei, ou seja, aguarde cenas dos próximos capítulos porque eu vou tentar fazer - a não ser que alguém me segure. Se você não se convenceu por essa foto vê aqui o flickr da menina Grasi, que o dela ficou mais lindo ainda.

Não sei todo esse colorido ainda deixa o bolo gostoso mas diga aí se não merece uma tentativa?!

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

O fim da estiagem - Bolinhos de chuva

As coisas aqui andaram meio paradas, mas a vida vai se ajeitando e conseguiremos encaixar nossas experiências gastronômicas para não morrermos no Miojo. Então, pondo fim a este pequeno período de seca vamos ao post de uma receita que já está bem atrasada para vir pra cá.

..............................

Certa vez, há muito tempo atrás, na época do colégio, quando a vida era mais leve e as únicas preocupações eram os trabalhos de história, biologia, etc, o programa da Ana Maria Braga era a tarde e estava eu na casa de uma amiga estudando. A mãe dela gostava de assistir as receitas da Ana Maria e ia fazendo na hora. Nós, boas cobais que éramos, experimentávamos tudo =).

A receita daquele dia eram os tradicionais (que nunca foram tradição na minha família) bolinhos de chuva, os quais eu nunca tinha ouvido falar. E como eram maravilhosos!! Tanto que fiquei com aquele dia na memória como uma lembrança boa. Prontamente, peguei a receita e levei-a para mami aprender e fazer para todo o sempre. Mas, como nem as mãos de fada de mami são perfeitas, os bolinhos ficaram um fracasso e desde então eu fiquei só na vontade mesmo.

Até que eu, neste impulso de aprendiz gastronômica faça-você-mesma, catei a melhor receita que encontrei na internet (e tem muitas! Cada uma com um detalhe diferente) convoquei mami como assistente e segui passo a passo o que essa senhorinha do vídeo abaixo fez:

Porque quando a receita vem de uma pessoa com tanta experiência eu confio.

Os ingredientes:
2 ovos

1 pitada de sal

3 colheres de açúcar

1 copo de leite

1 colher de margarina

2 xícaras de farinha de trigo

1 colher de fermento químico

1 colher de erva doce


E o modo de fazer ta aí no vídeo =)



E olhe, sem modéstia mesmo, ficaram ótimos! A primeira dentada foi um reencontro da minha alma com a minha infância não tão distante.

Só digo uma coisa: não experimente fazer sozinho. Pelo menos EU não conseguiria sem a minha fiel assistente. Tudo bem que pode ser só comigo, que fico meio atrapalhada com tudo ao mesmo tempo: massa-óleo quente-açúcar-não deixa queimar (AAAHHH), mas é só um humilde conselho, ok? É trabalhosinho, mas vale muuuito a pena! =D

gostinho de infância

E essa receita rende bastante! Acho que o dobro do que tem aí na foto.

Uma verdadezinha seja dita, eles ficam um pouco oleosos... =/ farei novamente colocando-os primeiro no papel toalha antes de jogar no açúcar, depois dou notícias aqui.
PS: Não usei a erva doce que tem na receita.