terça-feira, 1 de junho de 2010

Bolo de liquidificador - devagar se vai longe...

Depois da minha primeira experiência levada a sério, resolvi que a minha segunda receita deveria ser a mais simples do universo, porque eu limparia minha barra, ficaria satisfeita e poderia partir, sem culpa, para vôos mais arriscados.

Como é linda essa teoria...

A escolhida foi “a menor receita do caderno de Mami”, e dizia assim:


Bolo de Liquidificador

1 xícara de açúcar
2 xícaras de leite
1 xícara de farinha de trigo
4 ovos
1 colher de sopa de margarina
1 pires de coco ralado
1 pitada de sal

Modo de fazer: bater tudo no liquidificar e assar.


Concordam que nada pode ser mais simples que isso? E partindo do princípio de que um dia alguém já fez e deu certo e de que eu não sou assim tão mongolzinha, era fato que ia ser um bolo bom, barato e, principalmente, bo-ni-to – que foi o que eu fiquei devendo.

Meu conceito de bolo bonito inclui características como grande e fofo. Notaram o meu erro? Pois é... a receita não tem fermento, ingrediente fundamental para esse meu conceito de beleza. E eu só me dei conta depois, claro.

Mas então, a receita. Sem mistérios né, gente? Facim, facim. E olha, fica bom viu! Foi o que disseram as minhas cobaias... Mas bonito, bonito... não fica. Fica ligadinho e murchinho, mas pelo menos fica gostoso.


É dos feinhos que elas (as minhas cobaias) gostam mais

2 comentários:

Bru disse...

Que simples! Assim, até eu consigo!!!
Será que já dá pra casar? kkkkkkkkkkkkk

vera lúcia disse...

É bonito não ficou, mas posso garantir que não sobrou. Já é um bom sinal. ÊÊÊ

Postar um comentário

Tem lugar melhor pra bater papo do que a cozinha? =)